Raul Pompeia

Raul d’Ávila Pompeia nasceu em 1863 em Jacuecanga, Angra dos Reis, município do Rio de Janeiro, e suicidou‑se no Rio de Janeiro, no Natal de 1895. Como muitos homens de letras do seu tempo, defendeu energicamente a abolição dos escravos e a proclamação da República. De sua obra destacam‑se as novelas Uma tragédia no Amazonas (1880) e As joias da Coroa (1882), o romance O Ateneu (1888), os poemas em prosa das Canções sem metro (1900), além de vários contos, crónicas, artigos sobre arte, literatura e política. Foi também inspirado desenhista, tendo ilustrado algumas obras suas e de amigos. Ocupou os cargos de professor de Mitologia na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e de diretor da Biblioteca Nacional. É patrono da Cadeira 33 da Academia Brasileira de Letras. 

Obras deste autor: